top of page

The Backstage of a food photo session

Sorry, but the English version of this article is not available yet. Please use the translation option of your browser to see this content in English.

Brownies de chocolate no primeiro plano
Foto para Bites to Go PT

Comecei a fotografar comida profissionalmente há 10 anos no Brasil. Já fotografei diferentes tipos de produtos e possuía um acervo de utensílios e equipamentos considerável. Mas com a mudança para Portugal deixei muita coisa para trás e estou aos poucos re-equipando o meu estúdio de trabalho com equipamentos e acessórios específicos para ensaios profissionais de fotografia de comida.

A atual crise econômica causada pela pandemia trouxe grandes dificuldades ao setor da restauração em geral. Muitos donos de restaurantes e pequenos empreendedores do setor tiveram que se reinventar para não verem seus negócios fecharem.

As restrições ao funcionamento de restaurantes fez com que muitos restaurantes adotassem o sistema de delivery ou take-away e com isso as fotografias de pratos de comida começaram a ser muito requisitadas. Afinal, qualquer pessoa que queira fazer um pedido de comida deseja ver uma bela foto do prato que se quer pedir.


E é nesse contexto que apresento o primeiro artigo da seção de Ensaios fotográficos: a fotografia de comida! Um conteúdo com a proposta de ajudar empreendedores da restauração a fotografar seus produtos de gastronomia.


Pratos empilhados
Acervo variado de louças

A pré-produção


Antes de qualquer coisa, é preciso pensar na pré-produção, o que em fotografia para gastronomia implica essencialmente na escolha de louças e utensílios que farão parte da composição da foto, definição do local e do suporte onde os pratos serão fotografados e separação dos equipamentos a serem utilizados.


1. Acervo de louças e utensílios


O ideal é que você tenha um acervo de louças e utensílios variados para poder escolher o que combina melhor com o estilo de produto e resultado que quer alcançar. Pratos, talheres, copos, guardanapos e bases são alguns dos acessórios que irão compor o cenário de sua fotografia.


Para quem está começando, sugiro montar o acervo aos poucos. Invista primeiro em louças brancas, com pequenos detalhes nas bordas, pois serão mais versáteis para diferentes tipos de comida.


Com o tempo, você pode começar a investir em outros tipos de louça, de acordo com a necessidade que tiver para cada ensaio fotográfico, já que diferentes tipos de comida, requerem diferentes tipos de louças e acessórios.


Se você não puder investir na compra de muitos acessórios, considere pedir emprestado a algum amigo que tenha um bom acervo.


Para os que trabalham em casa com serviço de entrega de marmitas podem começar a investir na louça branca para fotografar a comida no prato ou utilizar a própria marmita que usa. Nesse último caso é preciso ter cuidado apenas para arrumar a comida no recipiente de modo que tudo que está sendo entregue apareça na foto.


Para os donos de restaurante, recomendo que fotografe na louça do próprio restaurante, e que o empratamento seja exatamente igual ao do prato servido no restaurante. Mesmo que seja utilizado o serviço de take away, as fotos podem e devem ser a do prato servido no restaurante. Podem ainda adicionar uma foto da comida na embalagem de entrega.


2. Luz


A luz é um dos fatores mais importantes na hora de fotografar qualquer coisa e com a comida não poderia ser diferente.


Monte uma mesa ao lado da melhor fonte de luz natural possível. Desligue todas as outras luzes artificiais. Se não tiver uma janela, faça a montagem perto de uma porta, por exemplo, por onde entre a luz natural. Posicione a mesa de forma a ter uma luz lateral ou por trás. Não fotografe com a luz de frente, diretamente sobre seu produto. Luzes laterais ou por trás produzem zonas de claridade e sombras que podem ser controladas com o uso de difusores e rebatedores. Difusores podem ser cortinas brancas, ou mesmo tecido translúcido colado em uma janela. Rebatedores podem ser cartolinas brancas, ou canvas de pinturas. Se dentro de seu ambiente de trabalho não tiver fonte de luz natural, então reconsidere o local. Não recomendo usar a luz artificial do ambiente (luz de teto por exemplo).


Invista em uma luz artificial se não houver a menor possibilidade de trabalhar com a luz natural. Uma fonte de luz artificial é o suficiente para iluminar seu cenário. Use luzes contínuas de LED. Vá a uma loja que venda luzes artificiais e explique o seu problema para o vendedor, ele com certeza vai achar a melhor solução para você. A iluminação com luz artificial segue o mesmo padrão da luz natural, sugiro que a posicione ao lado ou atrás (diagonal) de seu cenário. Use rebatedores e difusores para modificar a luz.


Realizo a maioria dos meus ensaios fotográficos de produtos de comida em meu estúdio pessoal em casa, que no meu caso é a minha sala de jantar, o ambiente que tenho maior exposição à luz natural.


3. Posicionamento da câmera:


O ângulo mais utilizado em fotografias de comida é o de 45 graus. Pense que você está de pé e olhe para o prato na mesa, posicione sua câmera da mesma maneira. Claro que vai depender da sua altura, por isso, pratique e veja como você quer mostrar a comida que está vendendo. O overhead shot, foto de cima, funciona para 90% das fotos de comida. Quando estiver à procura de um ângulo e não ficar satisfeito com nada, faça a foto de cima.


Se a sua mesa for muito alta para que você faça fotografias de cima do seu prato, considere utilizar o chão como a superfície para as suas fotos.

Utilize placas de madeira apoiadas no chão como base para os pratos a serem fotografados. No meu caso, após alguma pesquisa em lojas de bricolagem, achei uma prateleira barata e com um revestimento elegante, que utilizo como base de muitas fotos de comida. Mas existem outros materiais que talvez você até já tenha em casa e que poderá aproveitar. Outros tipos de materiais que também costumam funcionar bem para esta função são as cartolinas e as toalhas de mesa. O ideal é que você teste e veja o que funciona melhor para você e o prato que será fotografado.


4. Equipamento:

O tripé é um equipamento essencial para fazer fotografia de comida. Seja com uma câmera profissional ou com um telemóvel, o tripé é aquele tipo de acessório que não se consegue viver sem ele depois que começamos a usá-lo.

Se for usar câmera profissional, todas as marcas possuem aplicativos que permitem compor e clicar remotamente. Você posiciona a câmera, acerta ângulo e passa a trabalhar no remoto para fazer a composição e construção da cena. O acesso pode ser pelo seu computador, IPAD ou telemóvel. Para fotos tiradas de cima é uma grande ajuda.


Se for usar o telemóvel, coloque o aparelho no tripé no modo selfie para compor a sua foto, depois somente troque para o modo foto ou retrato, ajuste o enquadramento e clique!


Os refletores também são muito úteis para direcionar a luz e eliminar sombras na cena a ser fotografada. Podem ser usadas cartolinas brancas, canvas de pinturas ou foam boards.


5. Ajustes da câmera


Após montar a câmera no tripé, é hora de fazer os ajustes para o clique.

  • Abertura – primeiro posicionar o foco no elemento principal da foto e decidir a profundidade de campo.

  • Velocidade – adequar a velocidade para entrada de mais ou menos luz

  • ISO- A escolha do ISO está diretamente relacionada com a qualidade da imagem obtida. Quanto mais baixo o ISO, melhor a qualidade da imagem. Se estiver no tripé a velocidade pode ser baixa e por isso escolha o ISO 100.

  • Habilite a grade no ecrã da câmera para te ajudar a posicionar os elementos da sua composição.


6. Composição:

Todas as decisões que tomamos para finalizar a foto fazem parte da composição. Uma boa composição está diretamente ligada a um bom enquadramento, que é o posicionamento dos elementos na cena a ser fotografada.


Antes ainda de colocar a comida no prato, este é o momento de selecionar e posicionar cada elemento da cena. Utilize as linhas de grade no ecrã da câmera para orientar a posicionar a louça, o copo, os talheres, o guardanapo e algum outro acessório ocupando os pontos de intersecção das linhas de grade.


Faça testes, insira e exclua elementos até chegar a composição final que mais agrada.


Prato de feijoada acompanhado de cerveja
Foto para Karla Refeições Leves

6. Empratamento (colocar a comida no prato):


Chegou a hora de empratar. Leve em consideração alguns fatores importantes para alcançar o objetivo desejado: ter um prato bonito que dê água na boca em quem o vê.


Algumas dicas simples:

  • Se você ainda não tem muita experiência com empratamento, pense em fazer um desenho, antes de empratar a comida real. Você pode também buscar referências de empratamentos em sites e revistas de gastronomia para se inspirar.

  • Brinque com tonalidades e texturas para tornar o prato mais atraente.

  • Para restauração sugiro sempre que fotografe a comida da mesma forma que é servida para o cliente. Neste momento é até interessante reavaliar essa montagem de acordo com a foto. Pode ser que seu empratamento não esteja sendo eficaz e esta é uma boa oportunidade de mudar e experimentar.

  • Normalmente o elemento principal fica à frente dos demais. Digamos que o elemento seja uma carne suculenta e que tem como acompanhamento batatas ao murro. Lembre que o que você deseja vender é a carne. Se for uma massa com frutos do mar, eles precisam aparecer na foto e serem reconhecíveis.

  • A comida tem que estar fresca, por isso fotografe com calma. Melhor se for direto do fogão para a mesa. Não corra com a produção se o ritmo das fotos não estiver lento. Comida fria não fotografe bem.


O clique

Agora que já temos o cenário e o prato pronto, podemos finalmente capturar a imagem e fazer o tão aguardado clique. Ao longo do processo, a ideia é que se vá brincando com os acessórios, inserindo um guardanapo aqui, tirando uma faca dali. Adicionar um elemento humano, como uma mão servindo uma bebida ou segurando um talher, também costuma dar um resultado bem positivo ao seu registo.

Depois de feita as primeiras fotos, use a sua criatividade para testar outros ângulos e enquadramentos.


Quando estiver satisfeito com a quantidade de cliques feitos é hora de passar para a próxima etapa do processo de fotografia, a edição, mas esse assunto é longo e será tratado em uma próxima edição da revista.


Enquanto isso, é hora de praticar, já que assim como em tudo na vida, só a prática leva à perfeição. Portanto, o que está esperando? Comece a praticar com os pratos que você preparou para o almoço em família e esteja preparado para fazer as suas próprias fotografias de comida, seja uso pessoal ou profissional. Bons cliques!


Conteúdo: Clau Pereira Fotos

Texto: Cristina Landi

0 comments

תגובות


bottom of page